Você está aqui ->
Home > Na Quadra e no Campo > Futebol > E.C. Vitória > A sardinha virou zebra

A sardinha virou zebra

O time de Lauro de Freitas nos venceu em casa ontem pelo placar de 1×0, quebrando um tabu que durava vinte anos. O fato curioso é que eles nunca perderam um título do baiano em casa, isto por que, malandras que são, não tem casa, nunca tiveram e mesmo sofrendo de um quadro gritante de esquizofrenia (que os fazem crer que são um time grande), nunca terão.

O campeonato baiano é uma espécie de termômetro, como todos sabem, para o restante da temporada dos dois clubes mais importantes do estado. Por conta da baixa estrutura qualidade técnica da maioria das equipes envolvidas, o roteiro é quase sempre o mesmo, com o Jahia e o Vitória na final. Este, de fato, é o único confronto que importa. Saber não exalta nossa campanha, nosso torcedor gosta de vencer, de ser campeão e há dois anos tem sido assim, hoje foi diferente. Uma pena, claro.

Passamos o campeonato inteiro fazendo boas apresentações o que diante do exposto acima era uma obrigação curricular, mas do que isto, nós apresentamos ao torcedor rubro-negro um esquema de jogo claro, fruto da capacidade técnica de Mancine e sua comissão técnica. Este estilo de jogo nos possibilitou perceber que mesmo mudando as peças jogávamos bem. Tudo ia muito até o “JaxVi da paz”

O JaxVi em que respondemos a provocação do jogador deles foi o divisor de águas de nossa equipe, estar sem Rayner, Yago, Kanu, Mancine e Ramon em campo, além da perda de André Lima nos tirou a capacidade de enfrentamento de igual para igual, culpa exclusivamente nossa. Os erros, embora tenham sido decisivos no resultado final da primeira partida não foi o que nos fez perder o tricampeonato.Nós perdemos por que não fomos inteligentes e em seguida jogamos muito aquém do que podemos na Fonte Nossa.

A partida do “se”

O sentimento diante do término da partida é de que se as chances desperdiçadas por Neilton e Juninho, além de Belusso o resultado fatalmente nos seria favorável. Águas passadas não movem moinhos e o que nos resta é contar com todos os jogadores para seguir a diante na Copa do Brasil e Nordeste. Os retornos de Wilian Farias, Kanu, Rhayner, Ramon e demais jogadores supensos e/ou lesionados é algo aguardado com ansiedade.

A confirmação da chegada do atacante Walyson e do lateral Jeferson, duas posições em que, por conta de repetidas lesões, tem sido muito penoso para nosso time é sinal de esperança depois deste tropeço em casa. O “bom” de perder o título como este, se é que é possível usar esta palavra, é que a pressão para a chegada de reforços continua aumentando. Mesmo com a promoção dos talentos da base o Vitória precisa de elenco.

Vexame dos dois lados

Muito pior do que perder o jogo foi saber das lamentáveis atitudes de torcedores das duas equipes. O futebol não pode ser palco destas atrocidades e absolutamente nada justifica tais ações. Triste que isto tenha ocorrido aqui!

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com

Deixe uma resposta

quinze − 12 =

Top