Você está aqui ->
Home > Gestão Esportiva > Políticas Públicas > A triste cumplicidade do Vitória e a omissão do Bahia diante da FBF

A triste cumplicidade do Vitória e a omissão do Bahia diante da FBF

O Presidente da FBF vai conseguir, mais uma vez, se manter no cargo. Em uma manobra digna do ex-deputado Eduardo Cunha, o “nosso” Ed, conseguiu a proeza de marcar uma eleição com apenas 6 DIAS DE ANTECEDÊNCIA. Tudo correto estatutariamente, já que o próprio presidente alterou o Estatuto no começo do ano para poder ter essa regalia. Mas…

A decisão foi tomada no dia 28 de março, dando apenas 2 dias úteis para as chapas de oposição terem tempo de se inscrever, já que o dia 30 caiu numa Sexta-Feira Santa. A eleição irá acontecer no dia 3 de abril. É legal, diante do Estatuto, mas é algo que beira a imoralidade. Sem contar que o próprio presidente da FBF pode presidir a Assembléia Geral da Eleição.

O colégio eleitoral (clubes e ligas) que decidirá o destino do futebol baiano na eleição que acontecerá no próximo dia 03 de abril, só foi divulgado para a comunidade futebolística da Bahia na última quarta-feira 28 de março, ou seja, seis dias antes do pleito. Como algum candidato pode apresentar propostas e dialogar com os eleitores em tempo tão exíguo? Foi divulgado que teremos 148 eleitores, de todas as regiões do estado da Bahia, logo, dialogar com essas instituições em tão pouco tempo, é impossível. Outro aspecto a considerar é que ninguém sabe ao certo quais os critérios que determinam o fato de estar apto, ou não, para votar. Ou melhor, ninguém sabe, não. Uma pessoa, com certeza, sabe.

Porém, moralidade é só mais um conceito abstrato, há anos, na Federação Baiana de Futebol. São 17 anos alterando Estatutos com a cumplicidade de times e Ligas espalhadas pelo interior. E esse ano, ganhou apoio do dirigente do Esporte Clube Vitória (clique aqui). Ao menos Ricardo David não foi omisso. Mas até aí, nenhuma novidade.

E o Bahia?

O que mais incomoda é ver o silêncio ensurdecedor do Esporte Clube Bahia diante de tantas manobras para perpetuação do dirigente no cargo. Nem uma nota de repúdio no site. Nem uma tuitada do presidente tão “presente” nas redes sociais. Nada! O presidente Bellintani apareceu durante a semana pra reclamar da cota da Copa do Nordeste. Justíssimo. Mas pra criticar o Campeonato Baiano, a gestão da FBF, a cota de TV pífia do Ednaldão, nem um pio. É como se o Bahia não fosse a principal força do Estado, o Maior Campeão de Títulos, o time que junto ao Vitória, mantém o campeonato vivo, ainda que na UTI, dando público em jogos pelo interior. O Bahia se calou.

A dupla BaVi parece que se acostumou com a mediocridade de um campeonato falido, cuja premiação é apenas uma taça e medalhas compradas ali pelas ruas do Comércio. Dois clubes de Série A que se sujeitam a disputar um campeonato de série d e agora inventaram que vão colocar time Sub23 pra disputar em 2019. Duvido. São dois elefantes amarrados numa cadeira, fortes demais, mas sem a consciência de seu poder diante da Federação. O que será que explica essa cumplicidade, que beira a imoralidade, com o gestor que está prestes a comemorar 18 anos no cargo? Lamentável.

Alô, Bellintani! O senhor foi eleito como um grande gestor. Será que essa omissão será uma das marcas da sua gestão? Seu antecessor ao menos enfrentava e brigava pelos direitos do Bahia diante da FBF. Vamos pra luta, presidente. Sua Torcida te apoia. Tenha certeza disso.

Erick Cerqueira
Publicitário, pós-graduado em Gestão Esportiva, designer, blogueiro, Torcedor do Bahia e pai de Thor Cerqueira.
http://erickcerqueira.com

2 thoughts on “A triste cumplicidade do Vitória e a omissão do Bahia diante da FBF

  1. Concordo Erick! O Bahia não pode se omitir diante deste descalabro. O Tricolor já deu o primeiro passo para a moralização do esporte na Bahia, uma vez que já elegeu presidentes democraticamente. O passo seguinte, com certeza, é exigir o fim da perpetuação da FBF nas mãos de Ed, o vicetória. Somos os maiores do nordeste e não devemos permitir isso. BBMP!

  2. Parabéns Erick! Excelente artigo! O que foi dito nada mais é do que o retrato da vergonha imposta por um cidadão que quer se perpetuar no poder. O que gera uma dúvida interessante é saber que, se o campeonato não faz premiações financeiras, estando a beira da falência, por que o atual presidente não quer largar o osso? Aí tem…

Deixe uma resposta

15 − dois =

Top