Você está aqui ->
Home > Na Quadra e no Campo > Futebol > E.C. Vitória > Com medo de urubu, Mancini?

Com medo de urubu, Mancini?

No jogo de ontem a escalação do Vitória foi exatamente a mesma que perdeu contra o Internacional. Entendi que, por conta do quão abalado ficou Caique depois da falha, seria uma boa dar uma força para o moleque e mantê-lo na equipe, ponto para Mancini. O que não consigo compreender é a razão de insistir em por Botelho, que até cruza bem, mas é lento e sofrível no posicionamento técnico. O gol relâmpago do Flamengo foi, dentre outras coisas, resultado de posicionamento seu que beirou o amadorismo (mais uma vez).

Mancini começou este ano com uma teimosia irritante e um conformismo travestido de pragmatismo que se seguir assim, me fará perder o pouco de cabelo que ainda possuo em minha cabeça. No banco tínhamos Lucas e o recém contratado Jeferson e ele prefere deixar os caras no banco para por um volante improvisado na posição. Mais uma vez (foi assim contra o Inter) ele faz mudanças no decorrer da partida e só então dá a cara que o time precisava entrar em campo desde o inicio.

Só vimos o Vitória entrar em campo quando Mancini sacou Baumjohann, pôs Juninho, puxou Yago para armar as jogadas, Sacou Botelho e colocou Gilherme, recuando Juninho para lateral e promovendo a estréia de Jeferson pela direita. A postura do Vitória foi outra em campo e eu me pergunto (mesmo com as limitações por conta das lesões), por que razão ele não iniciou a partida com este time? Eu respondo, Mancini achava que começar o campeonato empatando em casa não era um mal resultado, pois ele está certo… É péssimo!

Os erros do juiz

A entrevista dada por Uilian Corrêa, no final da partida, sintetiza bastante a postura do trio de arbitragem, “ele expulsou o Everton Ribeiro e nós sabíamos que quando isto acontece desce o presidente do Flamengo para pressionar” a pressão ocorrida deu certo e o erro que nos favoreceu no primeiro tempo, foi corrigido com outro erro ridículo no segundo, dessa vez contra nosso time.

Não perdemos os dois pontos dessa partida por conta dos erros da arbitragem, perdemos por que nosso técnico, mais uma vez foi medroso, escolheu não propor o jogo e fazer tudo ao contrário em relação ao que garantiu sua permanência no Vitória. O Vitória do ano passado era um time pragmático que explorava o contra-ataque e tinha uma transição de bola no meio campo que permitiu conseguir vitórias impressionantes fora de casa.

Uma vergonha de Premiere

Assistir o jogo do Vitória ontem com cobertura do Premiere foi sofrível. A equipe de transmissão lamuriou de forma escancarada o fato do erro da arbitragem deixando a entender que o lance da expulsão era algo fácil de ser interpretado sendo que este resultou de uma confusão na pequena are, num lance muito rápido onde o arbitro teve a visão encoberta por alguns jogadores. Já no segundo tempo quando o Flamengo foi o beneficiado (após pressão da diretoria do cube nos vestiários), um impedimento grotesco em que haviam três atletas do Flamídia em posição irregular, o narrador solta a pérola:

– O gol do Flamengo é resultado da precisão do passe de Diego

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com

Deixe uma resposta

catorze + doze =

Top