Você está aqui ->
Home > Na Quadra e no Campo > Futebol > E.C. Vitória > Na Bahia o melhor continua sendo o trio

Na Bahia o melhor continua sendo o trio

 

As duas últimas finais do baiano foram marcadas pelos recorrentes mimimis da torcida Do time de Itinga. Um deles chegou a ganhar proporções internacionais, envolveram outros clubes da serie A, buscando numa espécie de vingança infantil mostrar o quão o Jahia foi deliberadamente (e intencionalmente) prejudicado pela arbitragem. Dito isto é preciso antever que não precisa ser um gênio para descobrir que, no jogo de hoje, nenhum torcedor do time de Lauro de Freitas reclamará da arbitragem. Talvez um ou outro irão reconhecer, no máximo, como simples falhas em lances “difíceis de acertar”.

O primeiro gol dos caras nasceu de um lance desses, uma bola trabalhada no meio um passe por trás da zaga, perfeito né? Não, Edigar Junior estava impedido meu preto, até ai tudo bem, sigamos afinal se Jonas Belusso tivesse tocado a bola novamente para Neilton a história seria outra. O jogo continuava na mesma, nosso meio campo dormindo, o juiz acertadamente não marcando lances bobos e o Vitória trocando passes esperando o momento certo e eis que ele surgiu… Numa bola lançada para Neiilton em profundidade o goleiro dos caras, ÚLTIMO HOMEM, toca a mão na bola e o juiz concede um salvo conduto do domingo de páscoa ao dar um cartão amarelo ao goleiro.

Segundo tempo

Nem havia começado direito e o juiz seguiu ajudando os caras… Dois a zero em um pênalti “mandraque”, inexistente, não percam a conta: Um gol impedido, uma expulsão não dada e um pênalti inexistente. Enquanto o comentarista do Premiere FC, que com o recurso tecnológico a seu favor brigava com a imagem para tentar endossar todos os erros do arbitro com comentários do tipo (“é parece que ele acertou” “lances muito difíceis, polêmicos”), nos viu tabelar e marcar um golaço com a jóia da base. Gol limpo e simples. Fim de papo, 2×1.

Perguntas ao trio de arbitragem:

– Se o goleiro do Jahia tocou a mão bola, fora da área, sendo o ultimo jogador de sua equipe, por que não foi expulso? Mesmo que considerasse como somente falta, naquelas circunstancias o amarelo foi um dengo, Né?

– Se Fernando fez o pênalti, por que razão não tomou nem mesmo um cartão amarelo?

Ps: Embora os erros do trio de arbitragem tenham sido decisivos, o Vitória passou grande parte do jogo se comportando como se fosse um time superior ao adversário e com uma soberba que não vejo a muito tempo no futebol. Eu acredito que pelo modo como apresentamos o jogo até aqui nesta temporada, de fato, somos. Mas no futebol parecer não é o bastante e se comportar assim, tendo em vista o regulamento que nos favorece é perigoso demais. O retorno do segundo tempo nós voltamos ainda sonolentos o que é estranho visto que Mancine costuma corrigir a equipe nos intervalos.

Domingo é pra pirão, borá leão! Uma vitória simples em nossa casa nos dá o título, borá comer sardinha no em casa, por que é sempre melhor assim!

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com

Deixe uma resposta

cinco × 4 =

Top