Você está aqui ->
Home > Esporte Olímpico > Esporte Baiano > Futebol > E.C. Vitória > O bode virou leão

O bode virou leão

Era para ser um jogo simples, uma Vitória simples e a certeza de que ampliaríamos a vantagem conquistada durante toda a competição. O Vitória da Conquista foi o ultimo a se classificar para o quadrangular final, tem a pior campanha dentre os classificados, mas neste domingo contou com um reforço de peso… Argel Fucks (o seu sobrenome é um aviso de “vou lhe fu…”).

O jogo de ontem foi mais um dentre a vasta cartela de apresentações pífias que o Vitória de Argel vem apresentando. Há, neste jogo, um agravante, visto que pela segunda vez consecutiva o Vitória teve dificuldade ao enfrentar um time com características defensivas e que explorava o contra-ataque. Foi assim com o Paraná e novamente ontem, e mais uma vez Argel faz as únicas substituições que ele sabe fazer (Pneda, Jhemerson, etc, etc).

Era pra ser um jogo semelhante ao que fizemos contra as sardinhas, marcação fort, posse de bola e contra-ataque, só subindo “na boa”. Mas o garoto achocolatado dos caras fez o que quis na avenida Jeferson, o famoso lateral piolho… quando pega na bola a gente coça a cabeça! Fizemos isto com um time pequeno de Lauro, dentro casa de aluguel deles e não conseguimos repetir, absurdo.

Diante do amplo domínio do bode em cima do leão, eu quis acreditar que o Vitória, por saber da vantagem que tinha, resolveu entrar em campo para segurar o resultado, se poupando para o jogo de volta contra o Paraná, na Copa do Brasil. O grande problema é que só um milagre fará com que o time “treinado” por Argel passe adiante. A fé é o único combustível que impulsiona parte dos torcedores a acreditar. Isto é pouco diante do bom trabalho da atual diretoria e o tamanho do Vitória.

O gol impedido e o complô universal contra o fusquinha

Hoje pela manha um cardume discutia sobre os 5 minutos dados pelo arbitro que, segundo eles, intencionalmente foi acrescido para nos favorecer. O lance do gol de Andre Lima em impedimento foi tratado como se houvesse uma distancia quilométrica entre zagueiros e atacante. Puro mi mi mi de quem não teve competência para fazer uma boa campanha e torceu para que pendêssemos a vantagem no campeonato e nossa invencibilidade.

Um time que consegue perder para uma equipe treinada por Argel e ainda assim acredita que é uma grande equipe, certamente não consegue discernir o que é real do imaginário. Futebol não se ganha com “mi mi mis” ou intervenções judiciais e até aqui o Vitória, com todos os perrengues e falhas, é superior a qualquer equipe nesta primeira metade do futebol praticado no país!

#vaidormirsardinha #fusquinhanãoénewbeatle

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com
Top