Você está aqui ->
Home > Esporte Olímpico > Esporte Baiano > Futebol > E.C. Vitória > Ser sardinha ou ser fusquinha, eis a questão!

Ser sardinha ou ser fusquinha, eis a questão!

A verdade é “time pequeno comemora resultados de partidas, time grande comemora títulos”, “o primeiro é dos pintos”, “a gente tem duas estrelas, o maior do nordeste”, “essa partida não valia nada, a gente deixa o estadual para vocês”

Estes foram os “argumentos” logo após o Vitória “meter dança” MAIS UMA VEZ em seu cada dia menos rival… Vai ver é isso que eles querem dizer em seu hino… “mais um, mais um Jahia, é assim que se resume a sua história.”

Antes de começar a partida os números apontavam para um time que a nove meses não perdia dentro de casa, tinha a defesa menos vazada da competição e segunda melhor campanha do campeonato. O problema é que só tinha enfrentado requenguelas ai fica mais fácil. Nós vencemos a partida, dominamos o jogo e como de costume, nos sentimos em casa, afinal desde que “o estado é de todos nós” a arena é e a “Bahia é terra-mãe” do Vitória.

Eu venho dizendo durante a semana inteira que este jogo era favorável ao time de Lauro de Freitas, e sempre usei como justificativa o entrosamento e tempo de treino que os caras tem juntos, o grande problema é que o jogo de Argel seja extremamente pragmático e se mostrou, mais uma vez, muito eficiente. Não quero com isto dizer que me agrada ver o time jogar sem um meia de ligação efetivo, como os caras tem, mas é indiscutível que ter vencido esta partida e colo nove pontos de diferença nos deixa muito confortáveis diante de uma possível final contra os “fusquinhas”.

Muda o nome do estádio, pô!

Diz o dito popular que “se conselho fosse bom, não era dado, era vendido” mas mesmo assim, pra equilibrar o confronto seria mais interessante para as tainhas que o local de execução das partidas fossem em outro lugar ou mudassem o nome. Afinal todos sabem que arena é lugar de leão e que o dique é pra sardinhas, então chorem lá! Nós entramos em campo sem o artilheiro do campeonato e sem um meia de ligação e vencemos, imagine quando Dátolo e Fred voltar ao time o barril que será!

Tudo isso me fez lembrar outros ditos populares… “Calça de menino não veste em homem” “fusquinha não é newbeatle” “o leão rugi e a sardinha nada” “Sergipe ou ser fusquiha”. O fato é que Argel segue sem vencer nenhum clube grande da serie a, e por esta razão acredito que seu trabalho ainda não pode ser avaliado e ele segue ameaçado no cargo. Mesmo com os 100% de aproveitamento na competição e tendo o melhor aproveitamento nacional até o momento, ainda assim, diante de times inexpressivos como o que enfrentamos ontem, tornam os resultados meros detalhes.

Por fim um trecho de Hamlet:

Ser ou não ser, eis a questão.
O que é mais nobre? Sofrer na alma
As flechas da fortuna ultrajante
Ou pegar em armas contra um mar de dores
Pondo-lhes um fim? Morrer, dormir
Nada mais; e por via do sono pôr ponto final

 

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com
Top