Você está aqui ->
Home > Esporte Olímpico > Esporte Baiano > Surf > Surfista baiano prepara temporada no Havaí para se firmar – Ricardo Palmeira

Surfista baiano prepara temporada no Havaí para se firmar – Ricardo Palmeira

ATLETA RC9 Mkt Esportivo

Sáb, 27/12/2014 às 09:29
Surfista baiano prepara temporada no Havaí para se firmar

Ricardo Palmeira
Tags: Heloy Júnior surfe esporte

Lucios Gaudenzi | Divulgação

Em sua primeira viagem ao Havaí, Heloy deu show nas ondas gigantes

Adquirido pela ASP (Associação dos Surfistas Profissionais), o BWWT, circuito mundial em ondas grandes, está cada vez mais badalado. E, para se juntar aos ‘big riders’ (surfistas em ondas grandes) de renome internacional, é preciso talento e muita coragem. Características que Heloy Júnior tem de sobra.

Este soteropolitano de 29 anos se prepara para embarcar ainda em janeiro rumo ao Havaí. O plano é surfar por dois meses em treinos e eventos-exibição para adquirir visibilidade e grandes patrocinadores.

A longo prazo, a meta é, com mais patrocínios, rodar o mundo para, no decorrer do circuito, se meter no meio dos ‘big riders’. E, mesmo sem estar competindo, exibir seu talento para aumentar sua visibilidade e ser convidado a integrar o BWWT.

Tudo será feito ao estilo ‘na cara e na coragem’ de Heloy, que passou os últimos meses batendo em mais de 50 portas na busca por recursos. “Calculo de R$ 10 a 30 mil para a primeira viagem. Meu patrocinador vai me ajudar, mas talvez não possa bancar tudo. O período que vou passar no Havaí vai depender do quanto eu obtenha de recursos. Mas que eu vou, eu vou! Nem que eu arranje só o dinheiro da passagem e busque um emprego lá para me sustentar”, afirmou.

Um problema para Heloy é que sua origem humilde dificulta o salto inicial para viver entre os gigantes do surfe. O principal ‘big rider’ brasileiro da atualidade, o também soteropolitano Danilo Couto, 39 anos, vem de uma família com melhores condições e se mudou para o Havaí em 1996.

Outros exemplos de atletas que estão na ilha norte-americana são Lapinho Coutinho, filho do juiz da ASP Lapo Coutinho e neto do cientista Elsimar Coutinho, além da carioca Maya Gabeira, filha do ex-deputado federal Fernando Gabeira. “Me faltou oportunidade, mas uma coisa é lhe abrirem a porta, outra é você ter talento para ir lá e fazer. Todos que estão no Havaí batalham muito”, disse Heloy, reverenciando os colegas.

Histórias

O sonho de ir ao Havaí, vale lembrar, foi realizado por Heloy Júnior há três anos e com alguns improvisos. Por não ter dinheiro para hospedagem, um deles foi ter conseguido vaga na casa do amigo e ídolo Danilo Couto.

Nas ondas, sua coragem se destacou. Em 2012, ele foi indicado ao prêmio de maior ‘vaca’ do ano no Billabong XXL Global Big Waves Award, o ‘Oscar das ondas gigantes’. Heloy se arriscou em um momento de condições extremas. O vento forte deslocou a prancha, o fazendo cair por cerca de 10 m.

“Para encarar essa situação, é preciso coragem, grande preparação psicológica e física. Treinei muito nesse sentido”, comentou Heloy, que ficou um minuto e meio debaixo d’água.

A ida ao Havaí era para ter ocorrido em 2008, quando ganhou uma competição em Itapuã que dava as passagens de prêmio. Porém, seu visto foi negado. Decepção? Heloy informa que não. A viagem acabou trocada para o Taiti e lhe rendeu histórias como ter dividido onda com Kelly Slater, o maior surfista de todos os tempos.

Para fazer uma manobra arriscada, Heloy ‘dropou’ atrasado em uma onda forte. Metros atrás, o americano não o viu e pegou a mesma onda. Resultado: tomou um susto ao se deparar com o ousado garoto dentro do ‘tubo’, caiu sobre ele e os dois se embolaram pelo mar. Ao se levantar, pediu desculpa a Heloy.

O baiano, que tem no currículo títulos em todos os circuitos do estado e em etapas do WQS (2ª divisão mundial), afirma: “Adquiri experiência por ter surfado com Slater por uma semana. É isso o que quero. Depois que ganhei o que tinha de ganhar no surfe local, preciso me firmar entre os gigantes do planeta”.

Top