Você está aqui ->
Home > Esporte Olímpico > Esporte Baiano > Suspeita de fraude em liga desportiva no interior

Suspeita de fraude em liga desportiva no interior

Supostas ações que favoreceram o presidente reeleito, Marcelo Martins, com a participação de apenas 5 dos 18 clubes da cidade (ou seja 27,77%), foram parar no Ministério Público Estadual, em Ipiaú, onde há uma representação por irregularidades e na Comissão de Educação, Esporte, Cultura, Saúde, Assistência Social e Direito da Mulher da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Lucas de Jesus Santos “Lucas do Social”, e também na Comissão de Acompanhamento, criada com esse fim.

Esta semana, parte dos dirigentes dos clubes ipiauenses e torcedores inconformados com a maneira que foi conduzida a eleição estiveram na Câmara Municipal, onde houve uma reunião aberta com a participação de 9 dos 13 vereadores  iniciando os debates das possíveis formas utilizadas pelo presidente para garantir a reeleição.

Segundo os reclamantes, em contato com a redação, o Estatuto da entidade prevê publicação em órgão de comunicação de circulação estadual. Isso teria acontecido, mas com um detalhe: o jornal onde foi publicado – Correio da Bahia – não circula em Ipiaú, cidade com 47 mil habitantes na região Sul da Bahia a 353 km de Salvador. Os opositores à situação lançaram uma campanha por eleições limpas na Liga.

A sede da Liga registrada em Ata fica nas dependências do estádio Pedro Caetano, mas o local da eleição foi numa casa residencial na Rua Rio Branco, 162 A, no Centro, considerada sede provisória da entidade.

Uma das alegações apresentadas pelos que protestam é que a maioria dos clubes votantes não estaria em condições legais, de acordo com o Estatuto da Liga, fundada em 1949.

Reuniões

Nesta segunda-feira, dia 13, haverá nova reunião das Comissões da Câmara para a qual foram convidados os que protestam pelas supostas irregularidades como também do presidente reeleito, Marcelo Martins, que foi convidado para apresentar a defesa.

A representação chegou hoje ao Ministério Público Estadual e os clubes esperam a manifestação dos Promotores de Justiça sobre o caso.

A representação alega que “É de conhecimento público que no dia 17 de fevereiro de 2017 ocorreu a eleição para a presidência da supracitada Liga Desportiva. Todavia, o procedimento adotado para a escolha do presidente sucessor não guardou a devida consonância com o que estabelece o estatuto que rege a Entidade […] A eleição sustenta a necessidade de maiores investigações bem como a sua total nulidade”.

FBF

Neste momento, cabe um posicionamento da presidência da Federação Baiana de Futebol, entidade à qual a Liga está vinculada, que em 2011, interveio na eleição do Juazeiro Social Clube também por supostas irregularidades. As Ligas de Futebol do Interior praticamente decidem o pleito na FBF, pois têm maioria no colégio eleitoral. A próxima eleição na Federação será em 2018.

Fonte: Tudo News

Emerson Leandro
Emerson Leandro Silva, torcedor do Vitória, escritor, Micro-empresário, fotógrafo, webwriter, designer e atleta aos fim de semana.
http://esportebaiano.com
Top