Você está aqui ->
Home > Na Quadra e no Campo > Futebol > E.C. Bahia > Uma Torcida! Um time! Um espetáculo! Bahia 2×0 Vicetantes

Uma Torcida! Um time! Um espetáculo! Bahia 2×0 Vicetantes

Bahia 2x0 Vitória

O BAVI da Torcida única foi uma guerra. E tudo começou no final da primeira batalha. A arbitragem vergonhosa e tendenciosa do primeiro jogo em Canabrava, despertou a indignação de jogadores, dirigentes, e uniu aquela parte da Torcida que estava se deixando levar pela banda podre do rádio baiano, que por ironia ou provocação, deu nota 9 a arbitragem. 

Quando chegamos na Fonte a festa já tinha começado. Uma Bamor vibrante incendiava o estádio junto com as outras Torcidas, meia hora antes da partida. Com balões brancos, faixas tricolores e um estádio todo em azul, vermelho e branco, o desfile das tricoleaders, com as estrelas 59 e 88 junto ao bode da Lampions e os dois mascotes do super-homem, completavam a imagem. 

O Bahia entrou pra execução dos hinos, com mais uma demonstração de união. Titulares e reservas se abraçaram diante da Torcida. E quando o visitante e o árbitro se viraram para a bandeira virtual do placar, eles permaneceram de frente para a nossa Torcida. Foi simbólico. 

O jogo começa e, assim como nas arquibancadas, só tinha um lado jogando. O Bahia jogava sozinho. Somente um jogador dos caras chamava a atenção, o zagueiro camisa 20. Roubou várias bolas no primeiro tempo. Fora isso, só deu Bahia. 

Lucas Fonseca de letra pra Edigar Junio, que chuta forte mas o goleiro tira. Cobrança de falta na área e Edson chega atrasado. Régis puxa o contra-ataque, espera e serve Allione. O gringo faz um golaço na Fonte Nova. 1×0. Fim de primeiro. 

Segunda etapa e quem pensava que o Bahia iria parar, errou feio. O Tricolor continuou pressionando, jogando futebol e com muita garra. Pela direita, Edigar lança Régis, que toca pra Allione que toca por cima. A direita era o mapa da mina. Eduardo, que disse que daria até carrinho de cabeça pra vencer o jogo, desce em velocidade e cruza pro meio. Régis passa sem problema pelo zagueiro e toca com categoria na saída do goleiro. 2×0 e caixão rubro-negro fechado. Régis foi expulso por subir naquela porra daquela escadinha e é expulso. Os caras também tiveram um expulso (ALELUIA!) e o jogo acabou com 20 em campo. Fim de papo. 

Bora Baêa Minha Porra!

Torcida única mas festa completa. Classificação conquistada EM CAMPO, sem necessidade da ajuda do árbitro, que na minha opinião, cometeu erros também. Mas dessa vez errou pros dois lados. Pra mim 2 pênaltis não marcados. Um em Lucas, num escanteio do primeiro tempo onde o cara joga ele no chão, num lance de MMA, na cara do bandeira. E um que Lucas fez no jogador dos caras, no segundo. 

Guto Ferreira deu um show. Armou o time como a Torcida queria e acertou em manter Edson no lugar de Juninho. E olha que eu sou fã do camisa 5 do Bahia. Meu pai salientou uma coisa interessante: parte da Torcida chama Guto de frouxo mas ele não coloca 3 volantes e sempre mantém os 3 atacantes. Gordiola brocou. 

De 1 a 35000 – a união que venceu o Bavi. 

Jean só cobrou tiro de meta. Eduardo jogou com muita garra. Lucas sofreu e cometeu pênaltis não marcados. Tiago seguro demais. Armero jogou demais. Edson e Renê Jr mandaram no meio de campo e ganharam o jogo. Régis é um craque, fez golaço, deu assistência e… já tá ótimo, parceiro. Edigar assumiu a 9 com maestria. Zé Rafael não foi tão bem. Allione merecia uma placa. AGORA, a TORCIDA DO BAHIA, mostrou mais uma vez que é apaixonada e apaixonante. Uma festa linda pela classificação, que durou até meia hora após o fim da partida, com celulares ligados e a Fonte Nova apagou as luzes. Mas como disse o placar: AQUI, A GENTE SÓ APAGA A LUZ PARA FAZER COMEMORAÇÃO. 

Até o placar “mitou”, ao se referir como VISITANTES ao time rival. Foi lindo. 🙂 

– ADEEEUS, NEGÔÔÔÔÔ! ADEEEUS, NEGÔÔÔÔÔ!

Erick Cerqueira
Publicitário, pós-graduado em Gestão Esportiva, designer, blogueiro, Torcedor do Bahia e pai de Thor Cerqueira.
http://erickcerqueira.com

Deixe uma resposta

4 × quatro =

Top